ESTIMATIVA DO TEMPO DE RECUPERAÇÃO DE UM BANCO NATURAL DO MEXILHÃO PERNA PERNA (LINNAEUS, 1758) NA BAÍA DE SANTOS, ESTADO DE SÃO PAULO

Marcelo Barbosa Henriques, Helcio Luis de Almeida Marques, Walter Barrella, Orlando Martins Pereira

Resumo


Estudou-se a população de mexilhões Perna perna provenientes da Ilha de Urubuqueçaba, um banco natural da Baía de Santos, Estado de São Paulo, Brasil, com o objetivo de determinar a curva de crescimento e o índice de condição de mexilhões fixados nas áreas de exploração e estimar o tempo de recuperação dos bancos de mexilhões explorados pelos extratores marisqueiros. Os resultados mostraram que, de acordo com a curva de crescimento obtida, P. perna fixa-se no costão com 1,96 meses de vida e atinge o comprimento de 50mm em 14,05 meses; 60mm em 18,43 meses; 70mm
em 23,48 meses e 80mm em 29,44 meses. O L∞ , ou seja, o comprimento médio máximo teórico que os animais podem atingir foi de 131,12mm. Registraram-se valores máximos
do índice de condição dos mexilhões nos meses de outubro e novembro (0,32) e os valores mínimos em março e abril (0,17). O tempo de recuperação estimado do banco natural foi de 14,05 meses, quando o animal atinge 50mm e está apto a ser extraído. Os resultados desse trabalho permitem concluir que a exploração econômica da espécie P. perna na região da Baía de Santos deve ser otimizada com a implantação da mitilicultura em escala comercial.

Palavras-chave


Mexilhão Perna perna; Curva de crescimento; Bancos naturais; Ilha de Urubuqueçaba; Baía de Santos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/holos.v1i2.1619

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia